A prática de aderir a um seguro de vida foi diminuindo com o passar dos anos mas continua sendo uma ótima forma de poupar e garantir o futuro. Veja a seguir alguns motivos para se tornar um segurado.

Como surgiu o seguro de vida?

O início do seguro de vida no Brasil começou com a abertura dos portos ao comércio internacional no ano de 1808. A primeira companhia a atuar foi a Companhia de Seguros BOA-FÉ.

Após o advento do Código Comercial Brasileiro, o comércio deixou de ser regido pelas leis portuguesas. Mais tarde, deixou de ser apenas marítimo e começou também a ser seguros terrestres.

Em 1901, o Regulamento Murtinho, regeu o funcionamento de seguradoras marítimas, terrestres, nacionais e internacionais que tivessem interesse em se instalar no país.

Existem 3 tipos de seguro de vida: o seguro de Responsabilidade que engloba responsabilidade civil, crédito e fidelidade; o seguro de Bens que prevê indenização de roubos, incêndio, transportes e o seguro de Pessoas que está relacionado à vida, acidentes pessoais e saúde que será abordado neste post.

Tipos de seguro conforme objetivo

O seguro escolhido deve ser analisado conforme o objetivo. Em geral, todos têm como função cobrir morte natural ou acidental para garantir um futuro mais confortável para a família ou dependentes. Existem 4 tipos de seguro de vida:

  • Seguro de vida tradicional – Tem cobertura vitalícia mas só é válido enquanto o segurado estiver pagando.
  • Seguro de vida resgatável – Permite o resgate de um percentual do prêmio pago após o prazo de carência do plano.
  • Seguro de vida temporário – O segurado pode contratar o seguro pelo prazo necessário para acumular um valor de patrimônio e após o período de cobertura é cancelado.
  • Seguro de acidentes pessoais – Traz cobertura para invalidez temporária ou morte acidental.

Tipos de cobertura

Existem vários tipos de cobertura de seguro de vida que variam conforme a sua necessidade. Podem ser contratadas juntas ou separadamente. Na hora da contratação deve-se prestar atenção à exceções de cada tipo de cobertura para possíveis enganos. São elas:

  • Inclusão do cônjuge, o parceiro passa a ser considerado dependente;
  • Inclusão dos filhos, os filhos passam a ser considerados dependentes;
  • Cobertura por morte, seja por causa natural ou acidental;
  • Invalidez permanente total ou parcial, que tenha sido causada por algum acidente, dá o direito à indenização;
  • Invalidez permanente total por acidente, que só dá direito à indenização caso seja total;
  • Invalidez permanente por acidente majorada, comumente contratada por artistas que desejem receber 100% do capital investido;
  • Invalidez laborativa permanente total por doença, consiste no pedido de indenização por conta de invalidez;
  • Diária por internação hospitalar, garante o direito de indenização ao paciente enquanto estiver internado;

Como você pôde ver, são muitos o motivos para aderir a um seguro de vida. É uma questão de segurança de vida e da vida de seus entes queridos. Vale lembrar que dependendo do tipo de seguro que se queira contratar serão exigidos exames para avaliar a qualidade de vida e a presença ou ausência de doenças que possam influenciar na expectativa de vida do segurado.

Se você gostou desse post e pretende ter mais segurança para você e sua família, conheça o seguro de vida da Plano Ser e se surpreenda com nossas condições e vantagens exclusivas.